quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Caatinga
É um tipo de vegetação cuja localização é principalmente o nordeste brasileiro, mas ocorrendo também no norte de Minas Gerais. Esta região é marcada pelo clima semi-árido, com chuvas irregulares. Apresenta duas estações não muito bem definidas: uma quente e seca, e outra quente e com chuvas. Na estação seca a temperatura do solo pode chegar a 60 ºC. O sol forte acelera a evaporação da água das lagoas e rios que, nos trechos mais estreitos, secam e param de correr. O cenário árido é a descrição da Caatinga, que na língua indígena quer dizer Mata Branca, durante o prolongado período de seca correspondente ao inverno. É comum a estação seca se prolongar o que provoca grande mal à população do local. 
Os cerca de 20 milhões de brasileiros que vivem nos 800 mil km2 de Caatinga nem sempre podem contar com as chuvas de verão. Quando não chove, o homem do sertão e sua família sofrem muito. Precisam caminhar quilômetros em busca da água dos açudes. A irregularidade climática é um dos fatores que mais interferem na vida do sertanejo. Mesmo quando chove, o solo raso e pedregoso não consegue armazenar a água que cai  e  a  temperatura  elevada  (médias entre 25 ºC e 29ºC) provoca intensa evaporação. Por isso, somente em algumas áreas próximas às serras, onde a abundância de chuvas é maior, a agricultura se torna possível. Na longa estiagem os sertões são, muitas vezes, semi-desertos nublados mas sem chuva. O vento seco e quente não refresca, incomoda. Assim que começam as primeiras chuvas a vegetação ganha novos ramos, aparecem varias gramíneas, e a caatinga toma um aspecto verde, bem diferente do marrom que se tem como cor predominante na estação seca.
Fonte: http://www.vivaterra.org.br

ZÉ DO MESTRE RECONHECIDO MUNDIALMENTE PELOS GIBÕES E CHAPÉUS DE COURO


Vaqueiro, um dos mais famosos artesãos do couro no Brasil, José Luiz Barbosa, o Zé do Mestre, nasceu em 1932, na zona rural do município de Salgueiro, onde vive até hoje. Aprendeu o ofício com o pai, conhecido na região por Mestre Luiz, vindo daí o apelido de Zé do Mestre. Perto de completar 80 anos de idade na cacunda, suas habilidosas mãos passeiam pelos artefatos de couro de boi, confeccionando suas especialidades que é a produção das peças que compõem os equipamentos e a vestimenta típica do vaqueiro sertanejo: gibão, perneira, chapéu, bota, luva, guarda-peito (proteção para a barriga), chicote e corda de relho para amarrar o boi. Tudo isso feito arteseanalmente no mais resistente couro que o vaqueiro usa no seu dia-a-dia na lida da pegada do boi pela caatinga. As peças de seu Zé que o cantor Luís Gonzaga uzava em suas apresentações, tornou o artesão muito mais famoso. O artista, trabalha com ajuda do filho, na casa onde mora, no sítio Cacimbinha, distante 14 km, do centro de Salgueiro, sertão de Pernambuco. Com sorriso de satisfação e olhos brilhantes, o sertanejo oferece assento aos visitantes e começa a prosa contando suas histórias, como a da pedra que “plantou” em seu quintal e que cresce como planta. O engraçado é que ele não tem mais as sementes pra um novo plantio. Lembrando dos tenpos de outrora, o alfaiate do couro conta um pouco do passado, nada feliz. “Nasci no ano em que mais se morreu gente por conta da fome. 

Naquele tempo, lá pela década de trinta, por aqui todo mundo era magrinho. Magrinho, mais magrinho mesmo. Naquela época, só tinha dois tipos de gente: os que não tinham comida e os que passavam fome. Também não tinha estrada e a picada da miséria passava aqui pertinho. A gente via a carestia passar aqui mesmo, na porta do sítio, com as crianças magrinhas e o monte de caveira que ia ficando no meio do caminho.” Relembra emocionado. Zé do Mestre, já confeccionou gibão, chapéu e artefatos de couro para autoridades diversas, como presidentes da República, o rei Juan Carlos, da Espanha, cantores e artistas famosos e tem peças expostas em galerias de artes e no Museu Missionário, no Vaticano. Matuto sábio e de visão futurista, sua casa é muito frequentada por alunos, pesquisadores e curiosos da região, pelo fato de possuir uma biblioteca com 1.200Kg de livros específicos e raros, que foram doados por um forte empresário, que atendeu ao pedido de seu zé que não teve oportunidade de frequentar escola como gostaria. Depois que o tradicional vaqueiro tornou-se uma figura rara no sertão e a encomenda de gibão caiu praticamente a zero, ele iniciou a produção de peças em miniatura, vendidas por encomendas e na feira de sua cidade e em Caruaru. Suas vestimentas também podem ser vistas em vaqueijadas e na missa do vaqueiro em Serrita-PE.
Marcos Valério Dantas

Piadas de Cipiras

Um velhinho de 75 anos que havia se casado em Munguengue, voltando da viagem de lua-de-mel que tinha ido em Aracati, encontra um amigo que lhe pergunta: - Então seu Aprígio, como foi a lua-de-mel??? - Ótima!!! - responde o velhinho. O camarada insiste: - E o sexo, como foi??? -O sexo? bom demais fizemos quase todos os dias!!! - Como assim seu Aprígio, quase todos os dias??? - É isso mesmo: quase fizemos na segunda, quase fizemos na terça, quase fizemos na quarta, só quase fizemos mesmo...

Piadas de Caipiras

Numa vaquejada em Munguengue no forró, Aderbal vaqueiro contando vantagem para um amigo diz:

- Alcides, eu já fiquei com todas as mulheres aqui de Munguengue que estão nesse forró! Tirando as minhas duas irmãs, claro!


- Foi mesmo Aderbal! - Fala o amigo - Pois eu ja fiz melhor do que você!


- Foi compadre? Como assim?


- Até agora eu ja fiquei foi com todas, até com as suas irmãs!

Receitas do Campo

Grude quenga de côco

INGREDIENTES:
1 côco grande ralado
½ quenga de açucar
2 quengas de goma de tapioca
1 colher rasa de manteiga
água do próprio côco
sal à gosto
MODO DE FAZER:
Misture tudo, unte uma forma com bastante manteiga e leve ao forno por 40 minutos. Está pronta uma das mais tradicionais receitas nordestinas.  
da redação do Nordeste Rural

RESTAURANTE 24 HORAS EM MUNGUENGUE!!

No momento da foto ele estava fechado para o almoço...
O matuto chega no céu e ganha prorrogação


Tudo era festa e alegria
Na roça, na malhada,
Tangendo o gado
no decorrer do dia.
Mas o caboclo não sabia
Que no encosto da noite
Muita coisa acontecia.

Deu redemoinho
e o céu anuviou
O vento soprou zangado
E a chuva não se chegou
Em menos de duas horas
Subiu no céu e voltou.

Bateu na porta de Cristo
E São Pedro apareceu
Com cara de incomodado
Que o visitante tremeu.
Rangeu os dentes e perguntou:
- Que bicho que te mordeu?

- Me desculpe meu santinho
Mas foi daquelas coisinhas
Que assusta um passarinho
Mas não mata uma florzinha
O que assustou o matuto 
foi uma leve dorzinha.

- Imagine meu santinho
Que estava distraído
Quando me veio um gemido
Lá do fundo do meu peito
Não sobrou terra no chão
E só me veio um zunido

O olho arregalou
O tempo escureceu
A cabeça deu um giro
E a fraqueza me deu
Gritei: - valha-me Deus
E o meu pai me valeu.

- Por isso estou aqui
Ainda lhe consultando
Se a minha visita é breve
Vá logo me avisando
Porque deixei lá embaixo
Um monte de gente chorando.

São Pedro tirou os óculos
Baixou a vista e releu
Virou a página do livro
E logo esclareceu:
- Está aqui confirmado
O Homem assinou
O seu prazo foi prorrogado

- Mas abra do olha seu cabra
Que não há definição
Vá devagar com o andor
Porque na hora de rubricar
Não disse o Nosso Senhor
A hora do prazo acabar

- Reconheço a atenção
Meu santinho protetor
Pode ficar tranqüilo
Que sou um bom seguidor
Agradeço a distinção
Que me deu meu salvador

- Volto para o meu povo
Cheio de animação
Refazendo a minha vida
Com a mão no coração
Lembrando que todo dia
É dia de oração.

E fico aqui matutando
Como a vida é
Numa hora se tem tudo
Noutra se dá marcha ré
O importante, portanto,
E viver bem cada dia
E sempre ter muita fé.

Valorizar cada gesto
Aproveitar toda emoção
Dividir com a família
Amor e consideração
Vencer as dificuldades
Da alma e do coração.
 Por João de Lila*
*Poeta, matuto, Pernambucano.

Criança Desaparecida ...

Fonte-o câmera

Não sei qual foi o motivo
Nem como isso aconteceu
Sei que foi em Pau dos Ferros
Que ela desapareceu
Com três aninhos de idade
Ninguém não tem novidade
Esse é o telefone seu

Telefones: 88897957/88247113/99704547/96714673

Pois pode entrar em contato
Quem tiver informação
E ligar para a família
Que vive com aflição
E a garotinha Thamires
Possa voltar, meu patrão

(Lalauzinho de Lalau)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

SERTÃO NORDSESTINO

SERTÃO DA MOÇA ZANGADA
SERTÃO DO CABRA VALENTE
SERTÃO DA VAQUEJADA
SERTÃO DO RIO CORRENTE
SERTÃO DA FARINHADA
SERTÃO DE SOL BEM QUENTE

SERTÃO DA BOA QUALHADA
SERTÃO DO MEU OXENTE
SERTÃO DA MADRUGADA
SERTÃO DE POVO CONTENTE
SERTÃO DA BOA BUXADA
SERTÃO DE POVO CONTENTE

SERTÃO DE CAVALGADA
SERTÃO DE BOA GENTE
SERTÃO DE GRANDE BOIADA
SERTÃO DO SOL  NASCENTE
SERTÃO DE GADO EM DISPARADA
SERTÃO DE PARTEIRA PACIENTE

SERTÃO DE ROLINHA DEBANDADA
SERTÃO DE ÁGUA FERVENTE
SERTÃO DE CARNE TORRADA
SERTÃO DA MENINA INOCENTE
SERTÃO DE PIRÃO COM RABADA
SERTÃO DE SAPO NA ENCHENTE

TEXTO: JATÃO VAQUEIRO

REFLITA !!


EITA MOSSORÓ QUENTE!!


PARA QUEM DESCONHECE - A segunda maior barragem de concreto na America Latina fica situada na Paraíba 

A segunda maior barragem feita de concreto da América Latina fica localizado na cidade de Nova Olinda é a Barragem Saco e está em reforma pelo Governo do Estado da Paraíba (fotos)


















 FONTE: 87 noticias e Blog do Guilherme

Carreata festiva e "Café com Jatão" abrem as festividades da padroeira de Olho Dágua do Borges


 













Comunidade católica, moradores e devotos de Nossa Senhora da Conceição participaram na manhã dessa terça-feira (29) da programação de abertura da Festa da Padroeira 2011 da cidade de Olho Dágua do Borges.

A programação começou ás 5h horas com grande carreata pelas ruas da cidade chamando a comunidade para participar do início das festas. No adro da igreja de Nossa Senhora foi realizado mais um grande "Café com Jatão", quadro do programa "Forró e Vaquejada" transmitido pela Fraternidade de Umarizal.


Pela segunda vez na cidade, Jatão e equipe da 104,9 fizeram a cobertura do evento com flashs ao vivo com a participação de moradores, coordenadores da festa e também do Pe. João Batista representado a Paróquia do Sagrado Coração de Jesus de Umarizal, que agrega a comunidade de Olho Dagua.

Fonte: http://uzlemfotos.blogspot.com

VEJA AS FOTOS CLIQUE EM MAIS INFORMAÇÕES

Piadas de Caipiras

No sítio trapiar, município de Munguengue morava seu Pedro vaqueiro e ele tinha uma filha muito sapeca por nome de Lurdinha. A danada escutava as converças e depois falava com a mãe.
-Mamae,é DEUS quem da o pão de cada dia? É que eu escuto a senhora dizendo nas orações!
-É sim minha filha! Responde a mãe de Lurdinha. E ela mais uma vez pergunta.
- Mãe é o papai noel que traz presente pra nós?
-É sim filha responde a mãe. E mais uma vez ela pergunta.
-Mãe foi a cegonha que me trouxe pra senhora?
-Claro filha, foi sim! E a Lurdinha depois de ficar pensativa pergunta.
-hum.... Mãe entao para que serve o papai mesmo em?


OXENTE!! É VERDADE MACHO VÉI


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Café com Jatão vai a cidade de Olho Dágua do Borges mais uma vez

Abrindo a programação da Festa da Padroeira Nossa Senhora da Conceição, o "Café com JATÃO" vai ser realizado mais uma vez em Olho Dágua do Borges.

O quadro do programa "Forró e Vaquejada" transmitido semanalmente pela Fm Fraternidade 104,9 de Umarizal visita a cidade vizinha pela segundo vez desde que foi criado. Os flashs ao vivo com a participação da comunidade católica e de populares assim como o grande Café vão acontecer na praça da igreja a partir das 5 da manhã, horário em que tem início o programa diariamente.

O pedido para que o "Café com Jatão" abrisse as festividades da padroeira da cidade partiu do Pe. João Batista. O mesmo aconteceu na abertura da Festa do Sagrado Coração de Jesus 2011 de Umarizal e teve grande participação da comunidade. O mesmo vai acontecer em Olho Dágua que faz parte da paróquia de Umarizal.
Fonte: uzlemfotos.blogspot.com

SOU VAQUEIRO NORDESTINO

SOU AQUI DO NORDESTE
E FELIZ DESDE MENINO
VALENTE CABRA DA PESTE
VAQUEIRO NORDESTINO
PEGANDO BOI PELO RABO
LIGEIRO E MUITO BRABO
ESSE É MEU DESTINO

MORO EM CASA DE TAIPA
O CHÃO É DE BARRO BATIDO
O ALPENDRE É DE LATADA
ONDE EU FICO ESCONDIDO
COMENDO FEIJÃO E FARINHA
 TOMANDO UMA BRANQUINHA
POR CACHAÇA SOU MOVIDO

TENHO UM CACHORRO BOM
BONITO E MUITO LIGEIRO
CAÇADOR COMO UMA FERA
O SEU NOME É TRIGUEIRO
CORRENDO NO MATO FECHADO
EM BUSCA DE BOI AZOGADO
SEMPRE FOI O PRIMEIRO

TENHO UM CAVALO BOM
QUE EU CHAMO DE XEXÉU
UM GIBÃO DE COURO CRÚ
NA CABEÇA UM CHAPÉU
NOS PÉS UMA APRAGATA
UM CINTO COM FIVELA PRATA
DA VAQUEJADA UM TROFÉU

SOU DEVOTO MEU COMPADRE
DE PADIM CICERO ROMÃO
SÃO FRANCISCO DO CANINDÉ
E DO FRADE FREI DAMIÃO
SANTOS AQUI DO NORDESTE
QUE SÃO CABRA DA PESTE
DE NOSSA RELIGIÃO

BEBO ÁGUA LIMPINHA
DO MEU VELHO CACIMBÃO
CARREGADA EM JUMENTO
OU NO OMBRO COM GALÃO
BOTANDO EM QUARTINHA
E NOS POTES DA COZINHA
TODO DIA É ESSE O ROJÃO

DANÇO XAXADO E BAIÃO
NO LIMPO DO TERREIRO
COM UMA CABOCLA BONITA
FILHA DE UM FAZENDEIRO
LEVO NA SINTA UM FACÃO
SOU BRABO COMO UM LEÃO
BRIGANDO NO TABULEIRO

ACORDO DE MADRUGADA
E FREVO MEU CAFÉ
NUM BULE AMASSADO
TOMA DELE QUEM QUER
O RÁDIO VOU LIGANDO
E JATÃO VOU ESCUTANDO
LOGO QUE FICO DE PÉ

SOU UM SERTANEJO
ME ORGULHO DESSE CHÃO
AQUI FAÇO MORADA
MINHA TERRA É O SERTÃO
TENHO AQUI MINHA SORTE
NA VIDA OU NA MORTE
COMO DIZ ESSE BORDÃO
SEU MOÇO PRESTE ATENÇÃO
EU SOU UM CABOCLO FORTE


                            TEXTO: JATÃO VAQUEIRO

REFLITA!!


domingo, 27 de novembro de 2011

OXENTE CABRA!!


piadas de Caipiras

Zé Piro um vaqueiro afamado de Munguengue estar na sala de espera do centro de saúde da cidade, quando o médico chega para ele muito nervoso, e diz:
- Seu Zé tenho uma péssima noticia para lhe dar. A cirurgia que fizemos em sua mãe... 

E é ai que o vaqueiro interrompe.
- Não, Doutor. Ela não é minha mãe, ela é minha sogra!

O médico então fala:
-Há nesse caso, então Zé, tenho uma ótima notícia para lhe dar, a cirugia que fiz na véia foi complicada e ela pode não resistir.

E VOCÊ O QUE ACHA??


Umarizal Comemora Hoje 53 anos de Emancipação Política
 
No dia 27 de novembro de 1958, pela Lei nº 2.312, Umarizal desmembrou-se de Martins e tornou-se um novo município potiguar. A data será lembrada hoje a noite dentro das comemorações de 53 anos de emancipação política municipal.
A programação começa as 19h com grande Missa em Ação de Graças na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, local que é um marco na história local erguida em 1902 quando Umarizal ainda era chamada de Gavião. Em seguida, haverá o tradicional Corte do Bolo com a presença do Prefeito Rogério Fonseca e demais autoridades municipais.
Ainda na programação da noite, acontecerá a entrega de premiações dos campeonatos e gincanas, a etapa de Umarizal e etapa regional do concurso "A Mais Bela Voz 2011" e atrações musicais com artistas da terra.
História de UMARIZAL 53 anos. "Uma cidade cheia de surpresas, ora boas, oras más, uma cidade de artistas, de poetas, de gente boa, de equilíbrios, de desequilíbrios, uma cidade que todos nos amamos e que está no nosso sangue, e que somente quem a ama de verdade consegue entender a emoção de  viver aqui".Rosângela Cunha
No inicio do século XIX, no povoamento de Gavião já existiam muitas casas, grandes fazendas uma abrangente atividade rural. A povoação continuou crescendo à margem do riacho Gavião, por onde passava uma estrada que servia de caminho para os comboios que saiam da Paraíba com destino a Mossoró. Em 1894, a localidade ganhou seu primeiro açude.
No ano de 1902, o arrumado que continuava em progresso já tinha cemitério e a capela do Sagrado Coração de Jesus. Por decisão da Intendência de Martins, em 1925, o nome do povoado foi mudado para Divinópolis. Em 1943, estava em fortalecimento econômico, e teve seu nome outra vez mudado, passando a se chamar Umarizal, numa referencia á grande quantidade de umarizeira existente na região, que consegue, mesmo em período de estiagem, molhar o solo debaixo de sua copa com gotejamento, sendo conhecida como a arvore que verte água.
No dia 27 de novembro de 1958, pela Lei nº 2.312, Umarizal desmembrou-se de Martins e tornou-se um novo município potiguar. Vegetação: Caatinga Hiperxerófila vegetação de caráter mais seco, com abundancia de cactáceas e plantas de porte mais baixo e espalhado. Entre outras espécies destacam-se a jurema preta, mufumbo, faveleiro, marmeleiro xique-xique e facheiro.
A Cultura em Umarizal é conhecida pela sua diversidade significante, pois é rica em cultura popular com manifestações culturais como: grupo de teatros, poetas, poetas cordelistas, repentistas, artesanato, grupos musicais, culinaristas e contadores de historias.
Fonte: uzlemfotos.blogspot.com

sábado, 26 de novembro de 2011

Turismo religioso movimenta 6,6 milhões de romeiros no Brasil

O chamado turismo religioso movimentou 6,6 milhões de romeiros no País, no ano passado, segundo registros do Ministério do Turismo (MTur). Do total de 186 milhões de viagens domésticas realizadas nesse período, 3,6% foram de participantes de eventos religiosos.

No patamar desse levantamento ficou a cidade de Aparecida, no Interior, que recebeu, durante o ano, 9,5 milhões de devotos de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil. Eles vieram de várias regiões do País para visitar o Santuário Nacional, pagar promessas e pedir graças à santa.

O município de Juazeiro do Norte, no sertão do Ceará, costuma atrair 2 milhões de pessoas a cada ano, em busca da bênção de Padre Cícero, o milagreiro do Nordeste. 


No Norte, o Círio de Nazaré reúne, em um único dia, cerca de 2 milhões de romeiros nas ruas do centro de Belém do Pará, sempre no segundo domingo de outubro, para louvar a padroeira da Amazônia, Nossa Senhora de Nazaré.

Segmentação

O turismo religioso caracteriza-se pelas atividades turísticas decorrentes da busca espiritual e da prática religiosa em espaços e eventos relacionados às religiões institucionalizadas. O segmento é – juntamente com o Turismo Cívico, o Turismo Étnico e o Turismo Místico e Esóterico – um dos nichos do Turismo Cultural no Brasil.

Fonte: Tribuna do Norte
O NORDESTE E SEU CALOR

“Isso sim é o rally do sertão!.




Transporte muito "econômico". Kkkkkk!

Vaquejadas deste final de semana de 25 a 27 de Novembro 2011 no RN


Escolha a sua!

Fonte: www.vaquejadanamidia.com

ERA SÓ O QUE FALTAVA "VIRGULINO LAMPIÃO"

O juiz Aldo Albuquerque, da 7ª Vara Cível de Aracaju (SE), proibiu a publicação e comercialização do livro “Lampião – o Mata Sete” de autoria do juiz aposentado Pedro de Morais. A ação judicial foi movida pela família do “rei do cangaço”, que se sentiu ofendida porque, em um dos capítulos, ele é apontado como homossexual e sua companheira Maria Bonita, como adúltera.No livro, o autor afirma que o Virgulino Ferreira, o Lampião, mantinha uma relação homoafetiva com um cangaceiro chamado Luiz Pedro, que também seria namorado de Maria Déia, a Maria Bonita, o que formaria triângulo amoroso.


Ainda no livro, o autor questiona a paternidade de Lampião em relação à única filha do casal, Expedita Ferreira Nunes, 79 anos. Segundo a obra, Lampião teria sido atingido por um tiro na genitália em 1922, o que lhe teria incapacitado de procriação.
A decisão judicial foi expedida ontem (24), momentos antes do lançamento do livro, que ocorreria em uma livraria de Aracaju. Assim, o autor está proibido de divulgar e comercializar o livro em qualquer parte do país. Pedro Morais poderá apenas se defender quanto ao conteúdo da obra.
CAPA DO LIVRO
Segundo o advogado da família, Wilson Winne, a ação judicial foi fundamentada na violação da privacidade. “Direito de liberdade de expressão tem um limite. Essa obra viola a invasão de privacidade. Ele é uma pessoa histórica. Quando se fala de Lampião, é da parte histórica. Que ele era violento, pistoleiro, herói ou bandido, mas neste caso atinge a honra da família. Está interferindo na vida da pessoa, de sua família”, argumentou.
Fonte: 1poquimdicada.blogspot.com

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

GADO NO NORDESTE SOFRE


Piadas de Caipiras

É dia do aniversário de casamento de seu Izidório vaqueiro e ele chama Lurdes sua esposa para irem a um Motel que haviam inaugurado em Munguengue pra comemorar a data.
 

fazem sexo a vontade, e dona Lurdes fica tão feliz que resolve levar uma lembrança daquela noite, e leva uma toalha de banho, com o nome do motel bordado sem o marido saber.

Ao sair, na portaria, é apresentada a conta, e junto, R$ 200,00 por uma toalha. Seu Izidório não concorda, discute, dizendo que eles não pegaram a toalha, e o recepcionista insiste dizendo que está faltando.


Então seu Izidório fala com Lurdes, e ela admite que pegou, ele toma dela e encabulado a devolve na recepção. Refazem a conta e ele ainda envergonhado paga e pede descupas. 


Foi ai que o recepcionista fala:

- Não se preocupe Moço , nós já estamos acostumados com isso, essas piranhas são assim mesmo...


-Tai Lurdes o que era que você queria mulher!!! Diz Izidório. 

Coisas do meu Nordeste

Doce de sangue de porco: "Chouriço" é feito assim no NORDESTE

Chouriço é um doce feito a partir do sangue e da banha ( gordura ) do porco. Adiciona-se mel de rapadura, farinha de mandioca, castanha de caju e especiarias: erva doce, canela, gengibre, cravo e pimenta do reino.

Para cozinhar o chouriço, o tempo gasto, em média, é de 4 a 6 horas, e geralmente, se faz em fogo a lenha, como mostra a foto. E durante todo o tempo tem que ter uma pessoa mexendo com uma colher de pau gigante.

É usado o sangue de porco fervido em um tacho. Cerca de 3 litros para 20 rapaduras. E essa quantidade de sangue tira-se de um porco só.

Uma lata com 1kg do chouriço é vendido, em média, entre R$ 5 a R$ 8 reais.

Fonte: http://suerdamedeiros.zip.net

RETRATO DA SECA NO SERTÃO NORDESTINO

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 QUANDO É SECO NO NORDESTE
É TRISTE A SITUAÇÃO
CABOCLO CABRA DA PESTE
ENCHE DE TRISTEZA O CORAÇÃO
  VENDO A MULHER E OS FILHOS
PASSANDO PRECISÃO.

A PASSARADA NÃO CANTA
FICA TRISTE A VACÁRIA
SERTANEJO OLHA PARA O CÉU
E FAZ A SUA PROFECIA
MESMO QUE SEJA SECO
MAIS ELE AINDA CONFIA

AJOELHADO PEDE A SÃO JOSÉ
CHUVA PRO NOSSO TORRÃO
PRA ACABAR A ESTIAGEM
AQUI DO NOSSO SERTÃO
REZANDO AO PADROEIRO
COM MUITA DEVOÇÃO

EM ÉPOCA DE SECA 
O AÇUDE RACHA A LAMA
O PEIXE IMPONENTE MORRE
É GRANDE O NOSSO DRAMA
O GADO MORRE DE FOME
POIS NÃO TEM MAIS A RAMA

MENINO BOTA ÁGUA 
NO LOMBO DE UM JUMENTO
BEM CEDO ENCHE OS POTES
É GRANDE O SOFRIMENTO
VAI BUSCAR COM AS ANCORETAS
NA CACIMBA DE ZÉ BENTO

NÃO CANTA A ASA BRANCA
DESAPARECE O SABIÁ
TRAZENDO A DESVENTURA
AO SERTANEJO QUE VAI ARRIBAR
INDO EMBORA DO SERTÃO
PRA NUNCA MAIS VOLTAR

UMA GRANDE SECA CASTIGA
O SOFRIDO AGRICULTOR
QUE VÊ O GADO MORRENDO
E ENCHE O CORAÇÃO DE DOR
VENDO A CAATINGA CHEIA
DE PODRIDÃO E FEDOR

OS FILHOS PASSAM FOME
A MULHER CHORA DE AFLIÇÃO
É GRANDE O DESESPERO
DAS FAMÍLIAS DO SERTÃO
EITA POVO SOFREDOR
AQUI DO NOSSO GROTÃO.

MAIS NÓS VAI VIVENDO ASSIM

NESSA PELEJA MEDONHA

ESPERANDO QUE SÃO JOSÉ

MANDE A CHUVA QUE SE SONHA

PRA ACALMAR O SERTANEJO

  MESMO  QUE CEDO OU TARDONHA
                       
                                   TEXTO: JATÃO VAQUEIRO